Seguidores

sábado, 18 de agosto de 2012

Mulher de 40...




Sim, Eu cheguei aos 40!... 42 para ser mais exata.

Não, Eu não  tenho medo de envelhecer!

Não tenho estatísticas em mãos e nem sei se existe alguma coisa a respeito das mulheres na faixa dos 40 ao 50, sobre o seu estado civil, psíquico, sexual. Mas se eu for pensar nas minhas amigas que estão por aí, posso afirmar que a grande maioria está separada ( eu completando bodas de prata em breve) e com filhos. E achando que nunca mais vão conseguir outro homem. E se acham horrorosas.
Bem, eu cheguei aos 40 e  vou meter meu bedelho (que palavrinha mais feia) entre as quarentonas ( pra começar,  odiamos a palavra quarentona, saudosas dos trintinha, e tememos  o inevitável: cinqüentona. Sexagenária  não ousam nem pensar, lembra aquelas tias carcomidas pelo tempo e pela memória).

Eu diria que  se acham acabadas. Porque  não se consideram achadas? A mulher de quarenta tem várias vantagens. A primeira é que já tivemos os filhos que tínhamos que ter e a gente não precisa se preocupar com a possibilidade de elas quererem mais um (aliás, conheço uma quarentinha – olha que simpático – que já é avó - EU ...rsrs), justamente como a gente que não estamos mais a fim de trocar fralda, ir na reunião de pais e filhos e vigiar a maconha na adolescência ( ainda tenho filho adolescente então essa não se encaixa  no meu perfil ). Esta parte elas já resolveram.

Outra vantagem é que elas sabem que Cinema Novo não é aquele cineminha que inauguraram outro dia no shopping. Cantam as músicas dos Beatles, amam as décadas de 80/90, curtem forró universitário   e também não sabem muito bem quem são Oásis. Discutem  futebol, lembram até da copa de 70, no México  e algumas delas chegaram a ver o Pelé jogar ( gentem eu nasci em 70 não vi a copa, mas vi o italiano Baggio chutando para fora nos pênaltis e nos tornamos Tetracampeões, e o Penta com  astros da bola  Ronaldo, Adriano, Kaká e principalmente Ronaldinho Gaúcho ).

Sexualmente sabem tudo e agora querem ensinar, se sentem literalmente por cima. Aquele negócio de ter orgasmo assim ou assado (assado é péssimo) elas já resolveram há mais de uma década, já viveram o suficiente para se darem ao luxo de filosofarem sobre a vida, sem aquelas bobagens que as meninas de vinte pensam e dizem e, ás vezes, até escrevem em diário. 
Aos 40 anos, a mulher entra na “idade da loba”. É o momento de maturidade e intimidade sexual. A mulher é experiente, conhece totalmente o próprio corpo, é mais exigente consigo mesma e com o parceiro.



Conseguem aprender a mexer no computador com muito mais eficiência que as mulheres de 60 (com todo o respeito, a minha mãe e tias ). E não perdem parte do dia atrás da alma gêmea na internet, como fazem a turma de 20. O foco é instruir-se, realização profissional , a busca do corpo saudável ( diferente das de 20 que querem o corpo sarado) a mente sã. Estão antenadas.

 

A mulher de 40 já tomou aqueles porres memoráveis na descoberta da adolescência. Ela sabe beber. E ainda puxa um sem ficar rindo feito uma principiante de 20 e sem a culpa da turma de 50. Dois tapinhas e vai para o cinema. Relaxadona, dona ( sem apologia as drogas ).

Ah, a mulher de 40 no verão chega ao seu esplendor debaixo do sol. Sabe a medida certa da sua cor e do seu suor. Sai da água como se saísse de um aquário, como se desfilasse em cima da água. Não acampa mais, nem fica em pousada sem internet. A mulher de 40 sabe onde quer ficar. Gosta de um confortinho.

Ela se pinta pouco, ao contrário das de vinte e das de 50 e 60. No máximo um batom básico. Não se enchem de perfumes e pode pintar o cabelo até de vermelho que lhe cai bem.

A redefinição da identidade implica em uma criação de novas saídas. O sol que se põe pode dar origem a uma nova aurora e não à noite eterna. Nesta aurora, não seremos mais as crianças ou adolescentes que fomos, mas conseguiremos aproveitar a grande dádiva que a ciência, hoje, nos propicia ao dotar a vida humana de níveis cada vez mais altos de longevidade.

Isto equivale a viver mais tempo com mais vida, ou com o sentimento gratificante de estar vivo. Equivale a usufruir a sobrevida com sabedoria, auto-respeito e prazer...a mulher de 40 vive essa nova identidade com o respeito a que se é devido, não  burla regras e nem pula etapas, faz dessa nova fase a melhor das escolhas, menos agressiva tal qual na juventude, hoje conta com a experiencia e tira  proveito...  faz amigos que pensem como ela, vive cada dia de uma maneira, sempre buscando mais da vida, porque só pode estar satisfeito no momento final... e enquanto esse final não chega  se adapta as novas regras e conceitos de sua nova idade.

Enfim, a mulher de 40 sabe tudo e não está nem aí.

Por que então sofrer, mulher de 40 ? O mundo não está perdido, está achado. Você é o melhor papo da praça. Você é o que há.


********************************Mulher de 40*************************************
                                                    Mulher de 40 - Roberto Carlos

Post dedicado á todas as Mulheres independente de sua idade. 


Final de semana abençoado e iluminado!

*.* Paty