Seguidores

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Varal de versos...







Este poema não é de minha autoria, gostei tanto dele que posto aqui não esquecendo de dar o devido crédito a autora. A autoria deste é da blogueira Ailza Trajano do O avesso do Verso.






Estendo meus sonhos num varal de versos inquietos, buscando encontrar um momento teu, nos mais profundos segredos da alma.
E sigo teus olhos pelas ruas, andando feito encantamento de quem segue no tempo, nas horas minúsculas dessa vida, distante de tudo, apenas te sigo em meus sonhos.
E pelas avenidas dos meus versos vou trilhando o querer estar em ti, infinitas vezes, sem que tu saibas menino dos meus olhares em ti, sem que tu vejas menino meus versos dobrando a esquina do tempo ao teu encontro, sem que tu atentes para o desejo do meu querer que dorme no meu peito, depois de amar-te no meu mais silencioso verso, que na melodia da noite faz parceria com a lua e canta menino, do fundo de minha alma esse desejo por ti.
Estendo meus desejos nesse varal de versos inquietos, onde deixo meu corpo, a espera de um único sopro do vento que traga teu cheiro e ame na noite o meu segredo de querer-te tanto menino.
Pra depois esconder-me nos mesmos versos que dobram a esquina do tempo, pra que nas horas mais intensas apenas permaneça o silêncio de um momento em ti, menino!

Porque você é uma fonte inesgotável de versos!